Precificação justa

A política de precificação é uma questão difícil para muitos empresários pelo país. Inclusive, no levantamento realizado pelo SEBRAE que objetiva descobrir a causa da falência de empresas até um ano após a criação, fica evidente como a precificação seria importante para esses negócios.




Isso porque dados mostram que 7% dessas empresas fecharam por falta de lucro, e 50% não sabiam dizer exatamente se haviam resultados positivos ou prejuízo. O que uma política de formulação de preços ajudaria a contornar, estudando custos e taxas de lucro apropriadas, dentre outras coisas, para precificar;


Para uma empresa ser bem-sucedida são requeridos diversos fatores e um deles é a precificação de produtos e serviços. A precificação nada mais é do que a definição do valor quantificável para a venda de um produto ou serviço. Ou seja, é uma forma de estabelecer quanto o cliente irá pagar para obter aquilo que o seu negócio tem a oferecer. Vale ressaltar que o preço não é elemento fixo, pois é influenciado pelas questões de macro e microambiente. Sendo assim, deve-se sempre considerar os custos (fixos e variáveis), despesas e a margem de lucro ao definir os valores para os serviços na saúde.


O preço deve ser algo concreto e fácil de comparar com os concorrentes. Então, uma boa ideia é fazer a valoração de acordo com os benefícios que o seu serviço propõe aos clientes. Isto é, uma maneira de discutir e explicar o preço que, ao mesmo tempo, torna-se competitivo. Ou seja, você já mostra porque é melhor escolher o seu serviço ao invés do oferecido pela concorrência.


Conheça seus concorrentes, o foco não está no que o concorrente está fazendo. É ter consciência das estratégias e da percepção de valor da concorrência e de como ela atua no mercado e por aí vai. Desta maneira, você conhece mais sobre o seu concorrente e descobre uma forma de se tornar mais competitivo no mercado.


Se oriente sobre seus custos e margens, a margem é a diferença entre o custo do produto e o preço de venda. Ou seja, você compra algo por R$ 100,00 e o vende por R$ 200,00, logo a sua margem foi de 50%. Seus custos são os insumos utilizados, o lucro, por sua vez, é o excedente que sobra em caixa após pagar todas as contas, inclusive o seu salário. O chamado custo operacional envolve tudo aquilo que você vai gastar para executar o atendimento. Ou seja, aluguel da sala, software, materiais, secretárias, salário, insumos, etc. Além desses custos também tem o imposto.


Saber quais são os custos da sua atividade, bem como diferenciar a remuneração pelos serviços prestados e o lucro, é primordial para o sucesso da sua empresa e indispensável para a precificação.


Fique atento! Alguns erros são muito comuns, como: erro no cálculo dos gastos, não entender quem é o seu cliente, esquecer da depreciação dos equipamentos, supervalorizar ou desvalorizar o serviço. O preço muito alto ou baixo, pode acabar implicando na redução da procura ou na redução da margem de lucro.


 

Resumo:





0 visualização0 comentário