O preço psicológico de ser um empreendedor



A mídia sempre retratou empreendedores com muita luxuria e glamour, propagandas de artigos de luxo como carros esportivos e relógios de grandes marcas frequentemente retratam em seus comerciais empresários bem sucedidos e com um estilo de vida invejável por muitos. Porem sabemos que essa não é a realidade da maioria esmagadora dos donos de negócios, eles não andam em jatos particulares, não estão envolvidos com celebridades, eles possuem sim uma vida de certa forma confortável financeiramente falando, mas nada extravagante.


Atingir altos patamares e manter o sucesso é um desafio e tanto, e isso vem com um preço psicológico a ser pago. Essa é a natureza das escolhas que fazem. A idolatria de grandes empresários como Elon Musk, fundador da Tesla, e Jeff Bezos, fundador da Amazon, existe.


Mas toda essa admiração pode não ser tão atrativa quando os verdadeiros custos de ser um empreendedor de sucesso é revelada. Depressão e ansiedade frequentemente estão presentes na vida de empresários, alguns não passam por isso, mas certamente todos passam por momentos em que a saúde mental sofre.


Um estudo conduzido pela Universidade da California em 2015 investigou a prevalência e as características da saúde mental de empreendedores e dos membros mais próximos de suas famílias. Foi constatado que para 72% dos empresários a saúde mental era uma questão preocupante. As descobertas desse estudo são importantes pois elas apontam a relação entre empreender e as consequências psicológicas, cognitivas, e comportamentais ligadas a saúde mental.


Mas porque tantos empresários sofrem com sua saúde mental? Aqui vão alguns motivos; empreendedores, em muitos casos, estão sozinhos. Claro que eles possuem família, amigos, parceiros de negócio, funcionários, e etc... Mas o grande peso da gestão, de transparecer confiança para investidores, equipe, e família obrigam os empresários a criar uma armadura para se blindar e não deixar as partes se abalarem.


Isso cria um espaço muito solitário, já que estão sempre com a guarda alta, absorvendo grande parte dos problemas sozinhos, o que gera graves consequências mentais. Por isso é sempre importante ter um mentor, um porto seguro com quem se pode dividir absolutamente tudo, inclusive questões que você não gostaria de ter que dividir com ninguém.


Um outro ponto bastante relevante, é a questão de que o espirito empreendedor é muito difícil de ser desligado. Eles são pessoas apaixonadas pelo negócio, comprometidas, que vivem aquilo 24/7. Quando conduzindo um negócio, pode ser muito difícil conseguir se desligar do trabalho e simplesmente curtir a vida, um feriado, um final de semana, isso porque em muitos casos está tudo ´´na reta``.


Muitos dos novos empreendedores não entendem que ser um empresário não é um simples trabalho de 9-18, um estudo conduzido no Reino Unido constatou que 20% dos empresários trabalham de 60-79 horas por semana, e 53% nunca desligam. Isso claramente é um ponto de atenção, é importante saber balancear e garantir que mesmo que seu negócio falha, sua vida pessoal está intacta. E praticamente todos os empresários de sucesso podem nos garantir que falir é quase sempre uma opção.


Identificar que sua saúde mental está em risco nem sempre é uma tarefa fácil, isso porque empresários estão tão focados em crescer seus negócios que não prestam atenção aos sinais de exaustão. Sinais comuns são falta de motivação para resolver problemas pessoais, desistência de relações afetivas, falta de sono, maus hábitos alimentares, e mudanças repentinas de humor. Esse é um problema real e que na verdade nenhum de nós temos as respostas, porém existem algumas boas práticas!

  • Divida seu tempo: separe um tempo para lazer, ficar com a família! Não adianta ficar só trabalhando se isso te trará exaustão mental e te deixará menos produtivo.

  • Faça exercícios físicos: A prática de esportes é boa para corpo e mente

  • Durma bem: sem uma boa noite de sono, uma tarefa que seria cumprida rapidamente pode demorar horas para ser finalizada

  • Faça seu planejamento (diário, semanal, anual): ficar somente apagando incêndios pode ser um indício de que os processos precisam ser revisados. Este tipo de situação deve ser uma exceção, e não regra.

Estas são somente algumas opções! Lembre-se que nem sempre mais horas trabalhadas significam mais resultados. Que tal pensar na qualidade do trabalho e como melhorar sua produtividade?

0 visualização0 comentário