Falta matéria-prima para micros e pequenas indústrias, aponta CNI

Panorama da Pequena Indústria foi divulgado nesta segunda-feira (8/11) pela Confederação Nacional da Indústria. Com base na resposta de empresários, relatório aponta que indústrias enfrentam o problema há 1 ano e 3 meses

O principal desafio enfrentado por micro e pequenas indústrias (MPEs) de transformação e construção em 2020 foi a falta ou alto custo de matéria-prima. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (8/11) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).


O dado compõe o “Panorama da Pequena Indústria”, realizado a cada três meses. O atual levantamento — do terceiro trimestre de 2021 — também diz que as indústrias extrativas não foram afetadas pela falta de matérias no ano passado. Isto é, especificamente há um ano e três meses.


Outro problema é a elevada carga tributária e a falta ou alto custo de energia. “A questão energética é um ponto de atenção, dado o contexto de crise hídrica atualmente vivido no Brasil”, destaca o levantamento técnico.


Principais problemas das MPEs

Indústria da Transformação:

  • Falta ou alto custo da matéria-prima (61,3%)

  • Elevada carga tributária (35,4%)

  • Falta ou alto custo de energia (29,2%)

Indústrias de Construção:

  • Falta ou alto custo da matéria-prima (51,9%)

  • Elevada carga tributária (27,8%)

  • Burocracia excessiva (20,9%)

Indústrias extrativas:

  • Falta ou alto custo da matéria-prima (39,3%)

  • Falta ou alto custo de energia (39,3%)

  • Elevada carga tributária (35,7%)

Otimismo

Conforme o Panorama da Pequena indústria, dois indicadores tiveram alta no último trimestre. O primeiro é o Índice de Desempenho, que marcou 48,3 pontos. O valor está acima do índice médio do segundo trimestre deste ano (46,5 pontos). E também é superior à média histórica (43,3 pontos). O segundo indicador é o de Situação Financeira (42,6 pontos), “pouco diferente do índice do trimestre anterior (alta de 0,3 ponto)”. “Quando comparado ao mesmo período de 2020, o indicador registrou uma alta um pouco maior, de 0,7 ponto”, diz a CNI.


“A melhora da situação financeira está relacionada às iniciativas que visam facilitar o acesso ao crédito. O governo federal vem implementando medidas que contribuem positivamente para a melhora da situação financeira. O Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), que foi aprovado como política permanente em junho deste ano, e o início da segunda fase do Open Banking são algumas delas”, avaliou o Panorama da Pequena Indústria.

 

Resumo:


Fonte: Correio Braziliense

0 visualização0 comentário